Eu não tenho sorte no ônibus II

Essa segunda história aconteceu antes da primeira.

Estávamos em Balneário Camboríu, eu, minhas duas primas irmãs e mais uma com o namorado.

Para voltar de BC, pegamos um ônibus, daquele estilo “viagem”

Entramos no ônibus, e o pessoal sentou do lado direito, nas poltronas 23, 24, 27 e 28, e eu fui sentar do lado esquerdo. Tinha duas opções: Sentar na poltrona 22 (ao lado de uma mulher dormindo) ou na 26 (do lado de uma mulher, nada bonita). Sentei na 26, porque não quis acordad a senhorita dormindo:

Beleza, uns cinco minutos depois, o telefona da mulher ao meu lado toca, e ela atende. Mas quando ela abriu a boca e falou… Nossa… Ela falou com uma voz de traveco. INEGÁVEL, ERA UM TRAVECO!!!

Agora tente imaginar um daqueles travecos Drag Queen dando entrevista na parada gay de São Paulo. É A MESMA VOZ.

Dai vocês podem falar que era a voz da mulher que era diferente. MENTIRA, meu instinto anti-traveco me avisou que era um homem ali do meu lado. E pior, veja o que ele falou pelo telefone:
”Oi querida. É, sim! foi bem legal lá. Eu dei um jeito naqueles gringos. Sim, foi lá no apartamento. Dei um jeito neles, não vão esquecer”

Imagine isso com a voz antes mencionada

E o pior, eu me virei para meus parentes do outro lado do corredor e susurrei: “PUTA QUE PARIU, É UM TRAVECO” e tentava segurar a risada.

Ainda bem que logo uma poltrona ficou vaga, e eu sai dali rapidinho.

4 comentários:

Leonardo disse...

¬¬

Bruno disse...

aushuahsuahs
aposto q vc nunk mais vai esquece desse dia... dnoite vc dorme pensando no traveco auhsuahsushu

Crítico Mascarado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Crítico Mascarado disse...

e tu tbm ficou secando esse traveco, igual ao último do outro busão xD

obs.: esse seu anti-traveco tá mais pra imã de traveco xD eles tão te perseguindo alex