Você mataria uma pessoa para salvar outras 5?

“Um trem vai atingir 5 pessoas que trabalham desprevenidas sobre os trilhos. Porém, você tem a chance de evitar a horrível tragédia acionando uma alavanca que levará o trem para outra linha, onde ele atingirá somente uma pessoa. Você mudaria o trajeto, salvando as 5 pessoas e matando apenas 1?”

Se você disse sim, está entre a maioria.

Esse famoso dilema foi apresentado a voluntários pelo filósofo e psicológo evolutivo Joshua Greene, da Universidade Harvard. A maioria das pessoas disse “sim”, ou seja, que mudaria o trajeto para salvar as 5 pessoas mas matando apenas 1.

A ética utilitária há tempos tem asseverado que a ação moralmente correta é aquela que gera “o maior benefício para o maior número”. Melhor que morra uma do que cinco. E determinar o maior benefício, segundo o filósofo alemão Immanuel Kant, é a função da razão. De fato, quando esse dilema moral é apresentado às pessoas, a maioria sempre decide acionar a alavanca.

Agora imaginem o seguinte:

Um trem, em alta velocidade, irá atingir 5 pessoas que trabalham desprevenidas sobre os trilhos. Porém, agora só há uma única linha. O trem pode ser parado por algo grande e pesado jogado à sua frente. Um homem alto e forte está ao seu lado. Se você empurrá-lo para linha, o trem irá parar, salvando as 5 pessoas, mas matando o homem que foi jogado sobre a linha. Você empurraria o homem?

Se você recusou empurrar o homem, também está entre a maioria. A maioria dos participantes nos testes não empurraria o homem para a morte. Isso sempre intrigou os especialistas em ética. Qual é a diferença? Em ambos os casos, um morre em vez de cinco. E em ambos os casos, foi você quem executou a ação que causou a morte, e o maior benefício para o maior número. Então por que a hesitação no segundo caso?

Tirem suas próprias conclusões.



Vi no Estrondo


5 comentários:

Felipe_Dias disse...

eu não empurraria o homem
só que não sei explicar pq

Alexandre disse...

As peqsuisas falam, que temos coragem prar matar usando alguma máquina, mas temos menas coragem matando com as próprias mãos.
A mesma pergunta foi feita, só que ao invés de empurrar, perguntaram se a pessoa jogaria a pessoa no trilho com uma catapulta, e 70% das pessoas falaram sim, isso porque, desde a época das cavernas, quem matava era rejeitado, espancado pelos demais da tribo, enquanto quem não fazia isso, conseguiam amigos e proteção
Li na Super Interessante

Fernando disse...

Eu gritaria: Corre cambada de fdp!
E salvaria todos /o/

Felipe_Dias disse...

claro xD

Giovani Dada disse...

trabalhar com ética é e smepre foi complicado, a maioria dos humanos tme o pensamento de 1 por todos e todos por 1, a maioria das pessoas tem uma sensibilidade guardada dentro de si que desperta em situações como essas, então é normal ouvir que no 1° caso, de desvie o trem, e no segundo não se mate o homem